play_arrow

keyboard_arrow_right

skip_previous play_arrow skip_next
00:00 00:00
playlist_play chevron_left
volume_up
chevron_left
  • cover play_arrow

    Brasitalia WebRádio Música, Informação e Entretenimento

Cultura

1972 – O ano do Rock Progressivo Italiano

today12 de abril de 2022 28

Background
share close

Há 50 anos, uma série de álbuns de bandas recém formadas lançava os fundamentos do Rock Progressivo Italiano

Há um país no mundo onde o rock progressivo se enraizou mais do que em qualquer outro lugar. Este país é a Itália. Nascido na Inglaterra no final dos anos 60 do século passado, o prog chamou a atenção com bandas como King Crimson, Yes, Emerson, Lake & Palmer, Gentle Giant, Genesis, entre outras que logo se tornaram muito populares no país, atraindo grande público e influenciando toda uma geração de músicos.

Muitos relacionam essa atração italiana pela vertente mais sofisticada e complexa do Rock com a milenar cultura musical do país que criou a ópera e o melodrama e deu ao mundo compositores imortais como Antonio Vivaldi, Giuseppe Verdi, Giacomo Puccini e muitos outros.

O Rock Progressivo Italiano tem seu ano fundamental em 1972. É o ano em que o progressivo britânico é absorvido, elaborado e transformado na versão mediterrânea, em um florescimento contínuo de novos sons, novas ideias, sem precedentes na Itália.

Se 1970 e 1971 já haviam dado origem a álbuns relevantes como os dois primeiros álbuns da banda inglesa, radicada na Itália, The Trip, “Syrio 2222” do Bronze Ballet entre outros, é em 1972 em que são lançadas algumas das principais obras primas do gênero.

Abaixo, listamos alguns destes álbuns que inauguraram a era de ouro do Rock Progressivo Italiano:

Storia di un minuto” Premiata Forneria Marconi

Primeiro trabalho da  banda italiana de Rock Progressivo de maior sucesso Internacional, a Premiata Forneria Marconi, é um disco conceitual, cujas vendas foram impulsionadas pelo sucesso alcançado pela música Impressioni di settembre.

O disco coloca o ouvinte a observar o dia de um homem, do despertar à noite: momentos de felicidade misturados com angústia existencial e relativos altos e baixos musicais para acompanhar esses humores. 

O PFM introduz pela primeira vez elementos retirados do folk italiano dando-lhe uma versão rock tingida pelo som eletrônico dos sintetizadores. Nasce o rock mediterrâneo, com È festa que consagra esta fusão que se viria a se tornar uma verdadeira marca da banda milanesa e que iria sublinhar os arranjos da famosa digressão com Fabrizio De André.

“Quella Vecchia Locanda” Quella Vecchia Locanda

O tema da viagem é talvez o fator mais presente nos registros do Rock Progressivo italianos dos anos setenta. Viagens de autodescoberta, longe de convenções e imposições. Quella Vecchia Locanda, uma banda de Roma, oferece uma dessas viagens cobrindo-a com uma atmosfera clássica, com um uso acentuado do violino e uma flauta muito semelhante à de Ian Anderson do Jethro Tull.

O protagonista deste álbum conceitual deixa para trás sua antiga vida para mergulhar em uma atmosfera desconhecida de dúvidas e incertezas, mas também de liberdade. Nos anos setenta não foram poucos os jovens que fugiram de casa para buscar novas experiências. Discos como este eram a trilha sonora.

“Ys” Balletto di Bronzo

Outro álbum conceitual que fala do último homem que restou na terra. Ele se encontra vagando em uma terra fantasmagórica e com o tempo é privado de visão, audição e fala, até ser dilacerado por uma entidade não especificada. O brilhante tecladista Gianni Leone concebe uma obra fora de qualquer lógica, completamente original em sua fusão de ritmos e harmonias da música dodecafônica com a violência do rock mais sombrio.

Ys é uma obra-prima de melancolia realmente assustadora, com seus coros alucinados, as mudanças contínuas de andamento, as explosões de guitarra no limite do ruído, os acordes sepulcrais com os quais termina a jornada do infeliz protagonista. Estranho na capa, com quatro daguerreótipos de uma mulher sorridente do início do século XX. Uma verdadeira viagem ao terror.

"Banco del Mutuo Soccorso" Banco del Mutuo Soccorso

O primeiro álbum de uma formação que figura entre as mais importantes e originais da música italiana, com uma proposta musical que parte de certas atmosferas caras ao EL&P e Gentle Giant, mas que se desenvolve de forma original, impulsionada pela habilidade dos irmãos Nocenzi (Gianni al piano e Vittorio nos teclados, este último também o principal compositor) e a voz do fenomenal Francesco Di Giacomo, que traz o melodrama italiano para o rock.

Banco del Mutuo Soccorso contém vários clássicos da banda romana, de RIP a Metamorfosi . Mas o verdadeiro deleite é o lado B, quase inteiramente ocupado por Il giardino del mago, a suíte mais bonita de todo o prog italiano. Uma viagem além da solidão e da morte, entre visões e cheiros da infância, com letras e momentos musicais que são verdadeiras poesias.

“Inferno” Metamorfosi

Uma das peculiaridades do prog italiano foi se inspirar em obras literárias famosas do passado, para propor uma versão musical que poderia levar os jovens ouvintes interessarem por se aproximar do original. Neste caso a inspiração é a Divina Comédia de Dante, oferecendo uma longa suíte que ocupa os dois lados, dividida (claramente) em grupos.

A música é um verdadeiro bombardeio de teclados analógicos, com um som encorpado e espacial. Com a voz de Jimmy Spitaleri que interpreta o grande poeta e que traduz as injúrias de Dante para o presente, desmascarando os males da sociedade moderna.

Written by: brasitaliawebradio@gmail.com

Rate it

Previous post

Associações Italianas

Eleição de Conselheiros do CGIE acontece neste sábado.

Órgão representativo das comunidades italianas no exterior terá seus conselheiros eleitos em votação organizada pela embaixada Italiana. Acontece no dia 9 de abril, a assembleia que vai eleger os 4 Conselheiros do CGIE (Consiglio Generale degli Italiani all’Estero). O CGIE é um órgão representativo das comunidades italianas no exterior, garantido pela Constituição Italiana. O CGIE, em conformidade com os princípios afirmados pelos artigos 3 e 35 da Constituição, tem como […]

today7 de abril de 2022 37

Post comments (0)

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

0%